Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BILHARDEIRO

Agora sem fazer grandes ZumBidos

BILHARDEIRO

Agora sem fazer grandes ZumBidos

FESTIVAL DE DANÇA, meus amigos zzz zzz zzz

e já agora, qual a opinião do Sr bispo do Funchal sobre as férias em Porto Santo, Canárias ou Brasil, que muitos madeirenses aproveitam para gozar durante a páscoa...

que bem que diria Diácono Remédios:
meus amigos, zzz, zzz, zzz...
não havia nechexidade...

PS: gostava de informar que eu vou ao festival de dança!

notícia em CM:
Estalou a guerra por causa da Sexta-feira Santa. No centro da polémica está um festival de dança agendado para o fim-de-semana de 14 e 15, na Mariana do Lugar-de-Baixo, Ponta do Sol (Oeste do Funchal, Madeira). A Igreja está contra, diz que é uma “falta de respeito pelos símbolos religiosos” e pede aos jovens para não se deixarem “sujar com o dinheiro de Judas”.

Foi com estas palavras que, ontem de manhã, o bispo do Funchal, D. Teodoro de Faria, se insurgiu contra na homilia do Domingo de Ramos. À tarde, um grupo de padres e populares subscreveu uma petição contra o festival, no qual se lê que “o terrorismo não se faz só com bombas e armas”.

Os jovens estão indiferentes às solicitações da Igreja. “Entendo a posição, mas cada um tem direito de fazer o que lhe apetece”, diz Duarte Berenguer, 24 anos, que admite participar na festa. “A Igreja não está a evoluir. Este assunto está a dar mais polémica por ser feita numa zona rural, menos citadina. Isto não é normal. É costume haver festas nesta altura e há bares que na sexta-feira estão abertos toda a noite.” Também para Filipe Caires, 24 anos, “a posição da Igreja não se justifica e só faz com que os jovens se afastem mais”.

GOVERNO LAVA AS MÃOS

O CM perguntou ao Governo Regional da Madeira o que achava da polémica, uma vez que a festa é apoiada pela Direcção Regional de Turismo. A resposta do assessor Paulo Pereira foi curta: “Não temos nada a ver com isso.”O Madeira Paradise Dance Festival 2006 é uma iniciativa da Câmara Municipal da Ponta do Sol. Organização e autarquia estiveram ontem incontactáveis.

PETIÇÃO
“O paraíso para aqueles que planearam e levam a efeito o dito espectáculo é viver numa ilha onde se desrespeita de forma grotesca os sentimentos mais profundos de uma comunidade”, lê-se na petição.


Mais uma bilhardice!