Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

BILHARDEIRO

Agora sem fazer grandes ZumBidos

BILHARDEIRO

Agora sem fazer grandes ZumBidos

Conceição, tu não mandas nada, afinal era só fogo de vista

Aqui vai a minha primeira reclamação do ano.

Apesar de ser já ano novo o meu protesto é ainda sobre o antigo.

Vai um gajo e aprantasse na frente de uma lareira algures por volta de horas decentes para jantar, sandes de galo velho e canja das suas partes íntimas, são coisas que a gente acha ser tradicional fazer no último dia do ano. Acompanha sempre com um ou dois vasos de vinho da terra. É claro e completamente evidente que um gajo à terceira vasilha de vinho, e depois de emborcar meia terrina de canja, já não está para ficar acordado por muito mais tempo. As pálpebras apertam os olhos e de esgueira vai um gajo e recosta-se a um velho canapé, são quase dez e meia e com a força do sono é bem sabido que dadas as circunstâncias um gajo assim vai perder esse grandioso espectáculo da passagem do ano e também aquela coisa do fogo-de-artifício.

E foi então que no meio de mais um canjirão de bom vinho um gajo tem a feliz lembradura de ligar à Estudante. Telefonei. Estimada secretária, disse eu, se não for pedir muito gostava que a menina desse ordem aos senhores do fogo para avançar já, sei que ainda mal são dez e meia, mas é que de outra forma vou adormecer e perder a grande festa dos foguetes, não custa nada e um gajo despacha já a coisa, o que me diz estimada Estudante? Mandas lá, se faz favor, os gajos rebentarem já com os foguetes?

Afinal a senhora do turismo não tem tomates!!!

E o fogo voltou a ser à hora do costume.

5 comentários

Comentar post